Sobre

Este site nasceu como trabalho intelectual final de 2 turmas da disciplina Educação Indígena, ministradas a partir de 2017. O objetivo inicial foi reunir materiais de diversas linguagens e formatos já disponíveis na Internet, em um só lugar, pra facilitar a busca de informações sobre os povos indígenas no Ceará, com o intuito de atender a Lei 12.645/2008, que obriga a tratar a temática da história e da cultura indígena nas escolas de educação básica no Brasil. O objetivo a ser perseguido é que docentes e discentes das escolas de educação básica, inclusive as indígenas, possam se apropriar da ideia do Observatório, produzindo novos conteúdos, frutos também de novas intervenções e pesquisas juntos aos povos indígenas, e alimentando o portal na Internet, de sorte que ele venha a se tornar um espaço realmente interativo, coletivo, fonte primordial de recursos para se trabalhar a história e as culturas indígenas do Ceará – principalmente – mas também de outros povos do Brasil e do Continente nas escolas.

O Observatório é uma das ações realizadas pelo Programa de Apoio à Subjetivação e Educação Indígena (APSEI/UFC), que enseja compreender e intervir nos processos de subjetivação indígena atuais vivenciados pelos povos indígenas do Ceará, tomando o campo da produção de sua educação diferenciada e de suas escolas indígenas e, de modo ainda mais específico, da formação de professores indígenas, pela importância que estes possuem no processo dessa produção. Contudo, o objetivo mais amplo é contribuir com as lutas de autoafirmação étnica e de reconquista de seus territórios tradicionais, considerando a posição dos indígenas, quando esclarecem que “A escola diferenciada indígena nasce da luta e deve se voltar pra ela”.

Ressalte-se também a valiosa contribuição do Programa na formação na formação de licenciados que atuarão futuramente nas escolas de educação básica, no que tange à Lei 12.645/2008, que reza sobre a obrigatoriedade do tratamento do tema história e cultura dos povos indígenas no Brasil, por meio da oferta de disciplinas optativas no curso de Pedagogia, nascidas das ações desenvolvidas a partir do APSEI, ministradas atualmente pelo coordenador do Programa, como: Educação Indígena e Etnohistória dos Povos Indígenas no Brasil.

Há que se mencionar ainda a realização da Semana Povos Indígenas na UFC (2018), a Jornada Povos Indígenas e Universidades no Ceará – JPIUCE (2019), que se tornaram os mais importantes eventos realizados por ocasião do Dia do Índio, em abril, desenvolvidos em rede, internamente, na UFC, por diversos departamentos e, externamente, por algumas universidades, trazendo para a dentro das universidades os temas atuais, as lutas e a presença de lideranças de demais membros de comunidades indígenas do Ceará. Para as próximas, como as Jornadas Povos Indígenas e Universidades – JOPOI (2021 – em processo de construção), realizada em ocasião do dia internacional dos povos indígenas, em 9 de agosto, prevê-se a participação de representantes de povos indígenas de outras regiões do Brasil, América Latina e da Europa, inclusive.

O Programa pretende portanto fortalecer a presença da UFC junto às comunidades indígenas e suas escolas oferecendo contribuição para o desenvolvimento local e autossustentável dessas comunidades, historicamente excluídas das políticas públicas do Estado, tendo como ponto de partida o apoio às ações em curso relativas a educação diferenciada indígena, sempre com foco no eixo central do Movimento Indígena no Ceará e no Brasil: as lutas de autoafirmação étnica e de reconquista dos territórios tradicionais indígenas. Pretende também ampliar a presença e os espaços dos povos indígenas dentro da UFC e outras IES no Ceará. Enseja ainda, colaborar na formação de futuros profissionais da educação básica, no que concerne ao conhecimento da história, das culturas e da realidade indígena na região e no país, com vistas à plena implementação da Lei 12.645/2008